Será que o brasileiro perdeu a raça?

E aí pessoal, tudo bem com vocês?

Já a algum tempo venho pensando nas coisas que aconteceram no Brasil, de uma forma macro, tanto do lado político quanto do lado esportivo.
Como jogador de poker, sempre tento achar o famoso “metagame” das coisas, metagame dos relacionamentos entre pessoas, metagame dos competidores, do comportamento das massas, das empresas, em tudo existe o tal “metagame”.

A definição para este conceito é um pouco subjetiva mas considere que é você pensar além do que simplesmente se apresenta a sua vista, pensar o que as outras pessoas estão pensando, o que passa na cabeça dos outros, ou mais cirurgicamente, o que os outros imaginam que você esta pensando deles e por aí vai. Você pode subir em diversos degraus no “metagame”.

Algumas coisas aconteceram nos últimos meses no nosso país que eu tento achar uma conexão para saber se nosso povo esta mudando, se estiver, para melhor ou para pior, e acabei chegando a algumas linhas de pensamento que gostaria de dividir com vocês.

Vamos ao caso do nosso futebol, assunto pelo qual sou apaixonado então toda hora estou tentando entender este universo paralelo.
O Brasil foi o time que menos correu nas semi finais da Copa, fato divulgado em diversas mídias. O Brasil correu 533km somando-se todos os jogadores, quem mais correu foi a Alemanha com 576 kms, ou seja, uma diferença de 43km, sendo que um jogador como o Messi correu 41km. Chegamos a conclusão fácil que o Brasil jogou praticamente com um a menos. Isso se não formos considerar casos como o Fred que correu pouco menos de 7 kms sendo que o goleiro da Alemanha correu quase 6.

Fazendo uma outra pesquisa, praticamente 100% dos Brasileiros correram quase dobro em momentos decisivos de suas carreiras em 2013 do que o que correram na Copa do Mundo. Por que o Paulinho correu 30% a mais no jogo Corinthians x Vasco na Libertadores do que em um jogo da Copa do Mundo? O que mudou? Libras?

Em resumo, o que te motiva? O que motiva as pessoas em geral? Não é estranho em 2013 com parte dos brasileiros torcendo para estes jogadores eles tenham se esforçado infinitamente mais do que quando praticamente todos os brasileiros estavam gritando seus nomes? Portanto, o que motiva estes caras?

Nos últimos anos indiscutivelmente o Brasil tem uma condição melhor do que no passado, as pessoas tem mais dinheiro, mais condições, independente do porque isto acontece porque não estou entrando em nenhuma ênfase política, apenas metagame estratégico.

Será que o brasileiro, com uma condição melhor hoje, perdeu a raça?

No ano passado o povo foi para as ruas, lutou pelos seus direitos, fez um barulho que se espalhou pelo mundo, e mais uma vez nada mudou, o esforço foi quase em vão, será que por isso perdemos a raça?

A todo momento, em todos os tipos de governos e controles públicos espalhados pelo país somos assaltados, a corrupção impera e o brasileiro não reage, será que perdemos a raça?

Me deixa muito triste estas análises mas eu realmente acho que perdemos a raça, perdemos aquele que era o nosso diferencial. O Brasil sempre teve talento próprio, criatividade, mas que nascia muito da nossa necessidade de improvisar, da nossa necessidade de ter que criar algo do nada, de repente eu acho que nos dando um pouco de condições acabamos perdendo aquela magia.

É óbvio que não em todas as áreas, nem em todos os esportes, mas tento enxergar o geral. O Basquete nunca foi berço de grandes conquistas mas a duas semanas atrás perdemos um jogo de semi final contra a Venezuela de forma catastróficas, de um jeito que não deveria ser, nosso jogador recebeu a bola, bateu, perdeu sem ninguém encostar nele e lá se foi a chance de vitória. A Venezuela gritou, chorou, vibrou e no final levou. Uma cena clássica de falta de garra, se aquele bola valesse a vida não escapava de jeito nenhum, e me parece que um dia já foi assim.

O brasileiro na Copa do Mundo foi para os estádios e cantou, mas cantou baixo, tomou baile da Argentina, da Colombia, isso aqui no Brasil. Um povo mucho para uma seleção ainda mais triste. Preocupados com “selfies”, aparecer na tv, com gritos que pareciam dublagens.
Chego a conclusão que diante de condições precárias que os brasileiros recebem para exercer suas carreiras de atletas, sem apoio, sem investimento na base, nossas chances de vitória por técnica apenas são minúsculas e agora sem aquela raça que nos caracterizava, sem aquele talento nato de criar e executar na hora decisiva, penso que estamos condenados a longos anos de tristeza esportiva.
E não analiso isto no formato de “pimenta no dos outros é refresco”, e no poker, o que nos motiva? O que me motiva? Será que não sofro do mesmo mal? Será que sem fazer uma auto análise apurada e ter um forte preparo psicológico eu mesmo não sofro do mesmo mal? Pois é, este é o tipo de auto análise que faço a todo tempo. Minha missão hoje em dia é ter a plena certeza do que me motiva, do porque faço o que faço. Minhas fillhas? minha familia? um carro novo? ajudar os outros? O que me motiva e o que te motiva?

Só penso que a vida sem garra é pobre, a vida sem raça para querer vencer é muito chata! E sem auto analise é ainda mais chata …

Acredito que você a todo tempo tem que procurar motivos nobres, que realmente mexam com o seu coração para serem locomotivas de motivação, se as peças deste quebra cabeça forem ligadas a dinheiro, acho que você sempre irá falhar, sempre! E é o que realmente eu acredito que parte do nosso povo seja motivado, inclusive nossos atletas.
Eu admito 100% que o Brasil perca de 7 a 1, acontece, mas não admito que as veias dos pescoços dos nossos jogadores não estejam pulando para fora de tanto gritar um com o outro, não explodir em berros de incentivo, ou no caso do basquete, pode-se errar, é claro, mas não sem surtar.
O que acredito que seja um grande “tell” de que a motivação tem muito mais a ver com dinheiro do que com qualquer outro ponto é exatamente o conformismo, pra que ir para a rua lutar contra a corrupção se hoje tenho uma tv legal em casa, pra que chorar e gritar no meio campo se este tormento esta acabando e vou voltar para a minha mansão na Inglaterra com meus carros de luxo, pra que? Por que correr mais?

Vídeos na concentração de crianças chorando, de pessoas gritando, de gente torcendo não funciona mais, não motiva mais, pelo menos é o que os resultados mostram quando a motivação é mais financeira do que inspiracional, do que o desafio.

Faço da minha vida um laboratório, vi que dentro das empresas em que participo, pessoas que antes estavam no sufoco da construção tinham uma raça infinita e depois que chegamos lá, perderam um pouco aquele brilho no olho, é natural do ser humano eu acho, mas não dos surtados, e faço disto uma missão para empolgar e colocar fogo o tempo todo para que elas voltem a ter aquela sensação de desafio e crescimento que nos levaram ao sucesso.

E daí que vem a minha maior motivação na vida, formar mentes vencedoras, inclusive a minha, estou completamente viciado em formar times e indivíduos vencedores e acho que estou em um caminho de felicidade total e que me agrada e excita demais. Viajo nesta quinta feira para Barcelona focado nisto, focado em me preparar mentalmente não para ganhar mas sim para ir ao extremo, ao meu máximo, talvez por estar tão focado em aprender a ensinar na WSOP não dei meu máximo e sendo assim um viciado como eu neste assunto não dormi mais tranquilo desde então, enquanto não chegar a próxima viagem e eu ir com força mental total para o meu desafio eu não voltarei a dormir bem.

Por isso o poker é o melhor esporte do mundo para mim, ele me testa todos os dias, me testa mesmo sem estar jogando, me testa ensinando os outros e discutindo com os parceiros, tudo faz parte de um teste emocional e técnico enorme, por isso tenho tanto tesão neste jogo. Isso sem contar que através dele você pode ver realmente quem são as mentes preparadas para vencer, preparadas para o sucesso. Você em uma mesa de poker detecta personalidades, quem é corajoso, quem é irresponsável, quem é medroso, quem tem atitude, tudo!

Mal sabem os outros atletas o quanto eles estão perdendo de não usar as técnicas de um jogador de poker nas suas estratégias esportivas e motivacionais. Vou longe nesta história e podem crer que em breve estarei treinando mentalmente equipes de poker como a nossa, equipes de futebol, basquete, empresariais entre outras.
Me sinto ultra preparado para este desafio e aos poucos este tipo de trabalho se espalhando o tesão cresce ainda mais.
Vocês conseguem enxergar o tamanho do preparo psicológico que um jogador de poker tem que ter em um momento decisivo? Um blefe em uma mesa final gigante, onde você tem que pensar qual o melhor caminho, qual o melhor valor, qual a melhor cara que você vai fazer para tirar seu oponente do pote, pensar, pensar, pegar as fichas e buuummm executar, e depois olhar para dentro dos olhos dos seus oponentes o tempo que ele definir e não piscar, não deixar nada tirar os olhos da sua presa? Pois é, poucos tem isto, mas são os poucos preparados, eles tem realmente algo diferente, eu sei o que é, portanto meu desafio é me preparar cada vez mais e preparar cada vez mais pessoas.

Isto é o que me motiva!

Minhas filhas me motivam, minha familia, meus amigos, as pessoas que hoje dependem de eu trabalhar bem, mas o desafio me motiva mais, muito mais. Não significa que eu não ame os anteriores, não tem nada que eu mais ame do que a a minha familia, mas para eu executar meus desafios elas não estão em risco, estão seguras, felizes, o que faz com que se o foco total for nelas naturalmente eu não de mais 100% como dei no passado, porém o desafio não, o sentimento de querer ser melhor amanhã do que hoje, com estudo, técnica gera definitivamente raça, muita raça. Foco na felicidade das pessoas que estão ao seu lado, foco no esforço do seu time, na recompensa de ver todos vibrando, coisas como estas sim, motivam!

E se eu estiver certo, como trazer a raça de volta ao brasileiro em geral? Somente a vontade de ser melhor salva! Somente a loucura, o surto, para querer vencer a todas as batalhas quem se aproximam podem trazer nosso povo novamente a situação vencedora, em batalhas internas e externas.
Não dá para aceitar em um povo com tantas pessoas inteligentes sermos roubados pelos nossos governantes, faça alguma coisa, publique algo todos os dias, pendure a bandeira do Brasil na sua janela, escreva textos e divulgue para seus amigos, twitte, coloque fotos de corruptos no seu instagram os criticando e principalmente, seja honesto, ignore e deixe seus amigos corruptos saberem que você tem repulsa aos seus atos, se você conhece alguém que se beneficia de dinheiro público não aceite, não saia para comer pizza com eles, não converse como se fosse normal. Não precisa sair matando ninguém ou entregando ninguém mas faça a sua parte, converse com a pessoa e faça ele saber que você tem vergonha dos seus atos. Não tem como o Brasil mudar se nós mesmo não mudarmos. Eu já a algum tempo venho agindo desta forma, de uma forma ativa a este tipo de atitude e venho intensificando cada vez mais. Isto me motiva.

Desta forma eu acredito que vamos retomar a nossa vontade de vencer, retomar a nossa raça, o que nos diferenciava dos outros, e que na minha opinião, no geral, perdemos.

Quem tem os desafios muito claros continua arrebentando, o caso do tenista Bruno Soares, focado, estrela máxima em um esporte que o Brasil ignora, que a mídia não publica, mas nada tira ele do eixo, continua entrando em quadra com sangue no olho e perdendo ou ganhando dá o seu máximo a todo tempo. Nesta linha de pensamento esta semana venceu de novo, cravou! Tenho orgulho de ter conhecido este brasileiro que defende nosso país no mundo todo e levanta nossa bandeira. E a seleção de volei? Grita, chora, vibra, solta o verbo na rede na cara das adversárias, é um show do cacete, mas não sei se de volei, porque na verdade não entendo muito mas de raça, de querer vencer, isso me excita e brilha meus olhos.

Na semana passada conversando com um policial amigo, honesto, ele me relatava que tem momentos em que ele acha que a luta contra a desonestidade e a corrupção parece perdida, sente que estes vermes estão em todos os lugares, entretanto, disse que quando ele começa a pensar assim desliga uma chave na cabeça e continua focado na sua batalha, por mais que ele saiba que sendo honesto as portas se fecham, ele não cresce na carreira, ou pelo menos demora mais, e mesmo assim não perde o foco, continua batalhando, pelo menos continua tentando amanhã ser melhor que hoje, este é o espírito que temos que ter para sermos um brasileiro melhor, uma pessoa melhor. Imagina se um policial que vive dentro deste meio tão contestado, tão cheio de dúvidas e corrupção, consegue seguir dando exemplo, porque nós nas nossas empresas e esportes haveríamos de não conseguir?

Ainda temos “outs”, só precisamos começar a jogar melhor, sermos melhores pessoas, sendo um melhor cidadão eu acredito que a nossa raça voltará e nossas vitórias aparecerão.

Valeu galera, e para quem não gosta me desculpe por estes artigos de filosofia barata mas aqui é o ambiente onde curto expressar estes meus pensamentos que para mim são profundos kkkk

Ahhh, antes de acabar, duas coisas, a primeira é pedir perdão pelos meus erros de português, normalmente não leio tudo de novo, não sou jornalista nem escritor, apenas blogueiro de brincadeira, segundo, quero agradecer a empresa Speedy Tour pelo patrocínio para Vegas, foram super bacanas em apoiar nosso esporte, valeu a pena demais. Fim do nosso período de patrocínio com eles e esta semana ainda anunciarei um novo patrocinador que fechamos para a minha carreira e estou muito feliz, um produto irado demais que já estou usando aqui em casa.

Grande abraço galera,

André Akkari
TEAM POKERSTARS PRO

10 comentários sobre “Será que o brasileiro perdeu a raça?

  1. Nos brasileiros em geral há raça sim, porém mais individualmente do que coletivamente. A raça coletiva surge quando eles se identificam com um líder que é o porta voz de seus anseios, admirado por suas conquistas e trajetória de vida.

  2. Aakkari, para mim o pior do brasileiro não é a falta de raça. O pior é a falta de Deus e de amor ao próximo. Se o individuo tem estas duas coisas a motivação dele quintuplica. Ao invés de fazer as coisas pensando exclusivamente em si, esperando um falso prazer ou uma falsa felicidade, a motivação em fazer pelo outro trás uma humildade e uma servidão que não há dinheiro, carro, casa ou outras coisas efêmeras e passageiras, capazes de apagar a chama da voluntariedade do sujeito. As pessoas estão perdidas, enganadas e sem rumo. Você quer ver uma das maiores enganações é esse negócio de amor á pátria. Como o sujeito ama a pátria se não ama o cidadão que está ao seu lado numa fila do supermercado, no trânsito, dentro de um ônibus ou andando no parque?? O que é mais importante, o amor ao próximo ou amor a pátria? Ir as ruas para protestar é amor a pátria ou é um ato desesperado de almas completamente perdidas sem nenhuma orientação?? O que é mais importante, ir as ruas ou buscar conhecimento para que se orientem e que possam multiplicar este conhecimento com um posterior processo de mudança? E um processo de mudança de um sistema altamente podre e corrupto se resolve em uma semana de protesto ou em décadas de esforços?? Recomendo a leitura do livro A República de Platão!! Se você ler este livro verá que formar almas retas é muito mais importante do que o individuo ter raça. Aliás, um bandido com raça é um perigo!! Abs, Vitor C

  3. Eu agradeço por existir esse blog e tu repassar essas mensagens. Não tenho muito o que dizer não. Posso dizer que o poker salvou minha vida, não por eu viver dele, to longe disso ainda. Desde 2010 quando conheci o poker e comecei a te acompanhar, me senti motivado a seguir em frente e nunca desistir. Não sei o que teria sido se não tivesse encontrado o mundo do poker. Mais uma vez! Obrigado!!!

  4. Bom dia Akkari,

    Já faz um bom tempo que você trabalha com preparação e motivação. Sabe melhor do que ninguém que fé, raça, força, determinação, garra são tão ou mais importantes que a própria preparação em si. Está aí o texto que não me deixa mentir. Se você assistiu V de Vingança, vai entender perfeitamente o que eu vou falar agora. O que temos diante dos nossos olhos hoje é fruto do trabalho do governo. A primeira coisa que um governo despótico faz é tirar a esperança das pessoas. Tirar o brilho nos olhos, tirar a garra, tirar a fé. Você mesmo diz no seu post que fomos para as ruas e nada mudou. Exatamente. Essa é a filosofia que o governo quis e praticamente conseguiu implementar – não adianta lutar, a luta está perdida. O descaso, a corrupção, o roubo deslavado, a cara de pau, a sordidez, o desprezo estão aí e nada vai tirar esses caras do poder. E os que poderão vir ou são iguais, ou são piores. E isso se reflete no comportamento geral da população.

    Entretanto, quando falamos de futebol, a atitude do governo tem muito pouco a ver com o que se viu em campo. Vamos começar por cima? Você, jogador de poker, ídolo do esporte vê no presidente da sua Confederação um canalha, um corrupto sem escrúpulos que só pensa em negociatas e em lucrar cada vez mais para si e para os seus pares. Tudo que ele quer é fazer grana e que se dane o esporte, que se danem os jogadores. Só aparece nas horas boas e é o famoso papagaio de pirata que adora tirar foto junto com os maiores ídolos do esporte. Felizmente, o presidente do nosso esporte passa longe disso.

    Depois, falta de comando. Os jogadores estão sendo “comandados” por um técnico arrogante e prepotente, que se acha a última bolacha do pacote, mas que na realidade parou no tempo e não sabe sequer arrumar um time em campo. Foi mandado embora do Chelsea com 3 meses de casa, caso raro no futebol mundial, não ganhou nada no Uzbequistão (pelo amor de Deus, onde é isso), rebaixou o Palmeiras e ganhou de mão beijada a Seleção Brasileira. E o jogador brasileiro, em sua grande maioria está no exterior, é comandado por Mourinho, Ancelotti, Guardiola, Del Bosque, Pellegrini, Ferguson, Klopp e aí, pegar pela frente um cara desses.

    Prosseguindo, jogadores que realmente poderiam fazer a diferença ou não foram convocados, ou ficaram esquentando banco, porque só jogaram os “queridinhos” do técnico. Fred foi uma inutilidade em todos os jogos da Seleção, o Brasil jogou com dez ou nove em todos os seus jogos. Mas o técnico fez valer a sua teimosia. Miranda, Philippe Coutinho, Rafael Firmino, Filipe Luis, Jonas, Robinho, Alan Kardec, Ralf, Fábio, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart sequer foram lembrados por Felipão. O Cruzeiro, campeão de tudo e com um futebol de gente grande não teve um jogador sequer convocado. E aí você vê Bernard, Jô, Fred e, ainda, Ramires e Hernanes que nunca fizeram nada em termos de Seleção.

    E, para fechar, dinheiro, o maldito dinheiro. Aqui você só ouve falar em independência financeira. Mas não é isso que se quer? Sim, mas não como um fim e sim como uma consequência do trabalho bem feito. Cristiano Ronaldo, Messi, Bale, Gerard, Lampard, só para dar alguns exemplos, esses caras querem vencer, ganhar, triunfar. A garra deles é pelo resultado, pela conquista, pela glória. Todos estão muito bem de vida, poderiam parar hoje com o futebol. Mas a sede de vitórias é maior. O brasileiro? Longe disso, bem longe. Muitos acham que só porque custaram um pouco a mais, porque teve um trouxa que pagou o que acha que o cara joga, eles pensam que são o topo da cadeia alimentar. Os maiorais, E já não se aplicam como se aplicavam antes. Muitos querem a grana e, depois que ela chega, esquecem daquilo que os colocou lá.

    E a minha opinião, se tem uma coisa que jogador brasileiro nunca teve muito foi garra. Salvo um ou outro time que conseguiu tirar isso dos jogadores, em termos de Seleção Brasileira sempre jogamos como se fossemos de outro planeta, como se tivéssemos o maior futebol do mundo, como se fossemos intocáveis. E, felizmente, descobrimos que não somos. Garra não é só dar carrinho, dar pontapé, chutar a bola para a torcida, chorar como criança. Garra é, também, renunciar aos próprios interesses pessoais em favor do triunfo de um grupo. Garra é usar todo o seu arsenal técnico e coloca-lo em campo. Garra é se doar 101% para o time, é ser homem e admitir quando não se está 100% física e tecnicamente. E a seleção passou bem longe disso. Vi vários jogadores querendo bater marcas pessoais em virtude do patrocínio. Vi jogadores mais preocupados consigo mesmo do que com o grupo, vi jogadores mais preocupados em tingir o cabelinho do que em jogar futebol.

    Dunga é uma esperança? Sim, é. Porque se existe alguém que é marca registrada de entrega, de personalidade, de brio, de força, de garra é ele. E a promessa é essa. Resgatar o frio na barriga do jogador brasileiro. Resgatar a vontade de vestir a camisa da seleção. Deixar de fora quem não tem essa motivação. Eu prefiro mil vezes um time menos técnico, mas com jogadores que ainda querem se provar do que um time de jogadores consagrados “deitados eternamente em berço esplêndido”. Você já percebeu a atitude de certos jogadores – “quem são vocês para me julgarem”? Os argentinos foram vice-campeões e pediram desculpas ao povo argentino. DESCULPAS! Nós? Ah, foi um apagão, foi uma acidente de percurso. Existe soberba maior que essa?

    Eu também era como você, um apaixonado pelo futebol, um apaixonado por governabilidade. Mas de tanto ver triunfar a corrupção, o descaso, a apatia, pessoas que vivem em um mundo paralelo sem contato com a verdadeira realidade das coisas, perdi bastante do interesse. O Brasil virou um grande covil de corrupção cercado por um bando de apáticos.

    Por isso amo o poker cada vez mais. O poker é um mundo à parte. O presidente e líder, que faz de tudo para não se colocar nesse tipo de pedestal, é uma pessoa desprendida que pensa somente no melhor para o esporte e não para si mesmo. Os ídolos do esporte são humanos, acessíveis e tem prazer em dividir seus conhecimentos. No poker não tem guerra de torcida, não tem rixa, pancadaria, palavrão, ofensas gratuitas. E no poker sou eu, mais eu, somente eu. E eu sei que em mim posso confiar. E hoje em dia eu só confio em mim mesmo. Porque aqui nesse país…

    Grande abraço!!!
    GL em Barcelona!

    • Não poderia deixar de comentar cara, vc falou tudo e mais um pouco.

      Essa frase entrou na minha cabeça e me fez arrepiar ” E no poker sou eu, mais eu, somente eu. E eu sei que em mim posso confiar. E hoje em dia eu só confio em mim mesmo. Porque aqui nesse país… ”

      E é exatamente o que penso.

      Grande abraço!!

  5. Mestre Akkari,

    Primeiramente quero agradecer a reflexão que você nos permite fazer, esse ambiente confuso e difícil de entender que é a nossa sociedade…

    A motivação que tanto se fala, partindo de um ponto do significado da palavra é “motivação = motivo para ação”, e hoje a nossa sociedade tem dificuldade de “definir” qual é o seu motivo … qual é a força que irá fazer você direcionar toda a sua energia para determinada ação …

    As pessoas tendem a acreditar muito no “agora” sem direcionar suas ações ao futuro, não há “estabelecimento de metas” na vida do brasileiro, as pessoas não colocam “datas, horários, objetivos” para serem cumpridos (parafraseando meu orientador …. “VOU CUMPRIR MEU OBJETIVO NESTE DIA, NEM QUE EU MORRA !!!” rsrsrs)

    Esse motivo para ação é que, talvez, deixe o brasileiro fora de atingir seu potencial máximo … e dai que sua reflexão é tão importante:

    ” … Em resumo, o que te motiva? O que motiva as pessoas em geral? …”

    Acredito que não há resposta concreta e solida suficiente para agradar a todos os brasileiros, mais também acredito, que LEVANTAR A BANDEIRA, mostrar a eles um caminho, uma DIREÇÃO, que os faça pensar que podem ser MELHORES a cada dia tornando cada momento especial podendo surgir algum efeito na sociedade.

    Olha como isso é verdadeiro … bastou você escrever essa mensagem e alguém se identificar (neste caso eu e os colegas que comentaram) para gastarmos um pouco do nosso tempo e fortalecer ainda mais uma mensagem de reflexão a todos que irão apreciar as palavras que você digitou … e quem sabe, podemos colaborar com seus leitores, uma REFLEXÃO DO QUE OS MOTIVA !!! fazer com que eles possam ENCONTRAR o real motivo para direcionar suas energias ..

    Não desistir quando todo estiver difícil, levantar a cabeça e encarar o problema, como se estivesse defendendo a própria vida, atacar o vilão como se estivesse defendendo sua própria família, levantar depois de um grande tombo como se alguém precisasse de você por perto …. isso sim é GARRA, isso sim é um MOTIVO, isso sim, pode ser chamado de MOTIVAÇÃO !!!

    Obrigado pela grande reflexão que você me proporcionou …

    E depois de tudo isso, minha motivação para fazer parte do seu grande time se tornou ainda maior … minha inscrição já esta feita, o estudo diário esta sendo como levantar da cama, não há possibilidade de deixar de fazer, e momento como este, aumentam ainda mais a vontade de vencer !!!

    Um forte abraço
    RAfael Florêncio

  6. Akkari, já faz algum tempo que te acompanho, seja no blog, no you tube, enfim… Quero dizer que além do excepcional jogador de poker, o que percebo é uma pessoa muito esclarecida e que entende perfeitamente o seu papel de construtor social. Se mais das pessoas públicas deste país e porque não dizer deste planeta tivessem tal dissernimento e boa vontade, certamente teriamos uma sociedade mais justa e perfeita.

  7. Parabéns Akkari, belo post, sábias palavras para uma boa reflexão.

    E com certeza é essa raça que estava me faltando e hoje me motiva a cada dia a ir mais longe e alcançar os meus objetivos..

    Grande abraço!

  8. Como sempre forçando todos que te acompanham a pensar em tudo, não só em poker. E melhor, fazendo paralelos perfeitos e mesmo com outro assunto ensinando a ser vencedor no jogo e na vida. Mesmo sem te conhecer a cada novo post seu recebo um coach grátis!!!!

    Parabéns Akkari! Admiração total!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s