Não é fácil jogar poker – Barcelona Main Event!

O sonho do Main Event de Barça acabou, acabou bem perto da grana, mas acabou. Vou começar contando o dia 1.

Cheguei para jogar o evento principal do EPT realmente muito concentrado, talvez como tenha me concentrado antes, sei que estou no meu melhor nível, jogando sólido, e chegando longe em praticamente todos os torneios importantes que tenho jogado, e principalmente, conseguindo fugir das armadilhas que o jogo cria para nós.

Sabia desde a inscrição que o torneio seria muito difícil, na lista dos inscritos para apareciam Phill Ivey, Gus Hansen, Matsow, entre outras feras, então tracei meu plano. Como o torneio era deep stack, queria começar os primeiros blinds de uma forma bem conservadora, sem arriscar muitas fichas, e mesmo quando viessem as cartas grupo 1 fazer os potes pequenos, não estava afim de tomar bad beats, ou cair do torneio cedo, aprendi no jogo de torneio que a sobrevivência é o grande segredo do jogo. Não confunda a sobrevivência com o excesso de conservadorismo, mas tem que sobreviver.

Na primeira mesa sentei a direita do campeão da etapa do EPT da França que estive presente no ano passado, Matt Iremark acho que é nome dele, na mesa ainda tinham dois profissionais que pareciam bem famosos aqui na Europa, e o resto classificados online, sem contar um tiozão xarope de tudo, que conseguiu cair no primeiro level.

Entre os jogadores mais fortes da mesa, o campeão do EPT era muito tight, muito mesmo, no level praticamente não jogou nenhuma mão, e os outros dois profissionais bem loosers. O ponto que prejudicou a mesa muito é que estes profissionais educaram muito mal a mesa no seu começo nas quantias apostadas pre flop, sairam dando bet de 350 pre flop, o que levava o pote até 3k, 4k no final, isso vinha totalmente de encontro a estratégia que eu havia traçado, então resolvi ficar mais tight ainda e entrar em bem poucos potes, e quando entrasse prestar atenção em todos os possíveis detalhes para tentar ganha-los, não poderia perder.

Toda a minha estratégia deu muito certo, a primeira mão que joguei foi a seguinte;
Um dos suecos profissas subiu o meu blind de 50 para 250, dei call de 66, já tinha mapeado ele inteiro, sabia como estava jogando, sabia que o continuation dele quando era pequeno era jogo, quando era muito forte era normalmente blefe e quando ele dava check era draw, isso depois de assistir várias mãos dele prestando muita atenção. O flop veio 279, ele saindo apostando 800, eu pensei e voltei 800 +1750, ele rapidamente deu fold.

Depois disso começaram os grandes folds do torneio, primeiro um raise UTG, o UTG+1 reraise, sendo que este UTG+1, sério, era o cara mais tight da história de Barcelona, até minha avó que é contra o jogo jogava mais mãos que ele, eu olhei TT, e acabou sendo um fold fácil. Nesta mão o UTG acabou dobrando em cima do tight com 97 e o tight com KK, foi nojenta, o muleque quase chorou.

Minha segunda mão jogada foi novamente com o mesmo sueco profissa, ele no big blind, blinds 50/100 eu fiz 350 com AQs, todas as subidas de blind nele ele dava call, invariavelmente, torci para acertar um flop, e ele veio A99, ele check, e eu check também, queria fazer parecer que tinha tentado roubar os blinds sem sucesso, turn 2, ele check e eu repeti os 350, ele rapidamente Call, river 5, ele sai apostando 400, eu faço 400 +600, não fiquei com medo do 9 pois até aquele momento todo flop maravilhoso que ele tinha acertado ele saia apostando, não fazia slowplay em nenhum, se por acaso ele me voltasse eu largaria, mas achei que poderia fazer um pouco mais de ficha se tivesse algum par ou um 2 ou um 5, ele deu call e apresentou T5s, dois pares com 9 e 5 e eu dois pares com A e 9. Neste ponto depois de pouca action, roubo de blinds e tal eu já estava com umas 15.000 fichas, aí vem a mão da primeira dobrada.

O campeão do EPT, que por sinal, era muito tight, resolve jogar a primeira mão dele, eu sabia que ele quando entrasse em uma mão iria se recusar a perder, a não ser que tivesse informação claras de encontrar um monstro. Ele sai de UTG atirando 450 blinds 75/150, eu olho KK no UTG +1 e pensei, das duas uma, ou o baralho está querendo aprontar a primeira pilantragem comigo, ou pode chegar a hora de eu ganhar muita ficha. Se eu volto ele pré flop, ele sabendo que eu sei que ele não jogou nenhuma mão até o momento, ele já iria me dar um monstro na mão, então resolvi apenas dar call na aposta dele, e o big também completou. O flop vem 25Q, como eu havia previsto, o big dá check, e ele sem pensar já sai atirando 1250, eu pensei, pensei, pensei, se ele tivesse o AA eu estaria disposto a cair, QQ não acreditei que ele saísse atirando tão forte pós flop, então fiz 1250 + 4000, o big fold, e ele pediu tempo. Tenho certeza que o momento decisivo desta mão foi só o call pré flop, se eu tivesse voltado ele largava, ele me deu KQ ou até menos que isso, um JJ, então ele fez 4000+ All in, eu dei call imediato e ouvi ele dizendo “OHH no my god” aí eu já sabia que estava na frente, ele abre AQoff, e eu KK, não bateu nada turn e river e eu fui para quase 30 mil fichas na mádia 11.000.Depois disso resolvi dar uma acalmada de uns 40 minutos, consegui roubar blinds, entrar em potes pequenos, sempre acelerando e nunca dando call e jogo foi fluindo até chegar em 34.000, e veio outra mão grande. Eu no MP1 faço 450, nos blinds do mesmo sueco, ele estava com muita ficha já que tinha dado várias dobradas de all in preflop contra uns maníacos que chegaram na mesa, ele devia ter umas 50.000, ele imediatamente deu Call. O flop veio A27, ele check, eu fiz 850, e ele call imediato, neste ponto soube que ele tinha um par, provavelmente o A com um kicker nojento, e não tinha feito dois pares ainda, se não ele me voltava. O tunr vem outro 7, ai fiquei com um pouco de medo, se ele apostasse tinha o 7, então ele check, eu para não me arriscar demais e colocar o meu castelo em risco dei check também, river um T, ai sabia que se ele tivesse feito o segundo par, ou tivesse o T largaria apostando, ele deu check, então pensei, vou dar um overbet para parecer roubo, a grandes chances que ele pague se ele tiver o A, pq dei check no turn, ele não vai acreditar e mim e posso ganhar um pote mega, fiz bet de 3750, ele deu call instantâneo e apresentou A8off, fui para mais de 40.000 fichas.

Neste ponto veio a primeira safadeza do baralho comigo, eu no big blind de JJ, o UTG short stack faz tudo 650, no blind 100/200, eu dou call, o flop vem 46J, rainbow, olhei pelo canto do óculos e já vi ele mechendo nas fichas, ai foi fácil, dei check e ele simplesmente enfiou All in de 6.000, eu dei call rápido ele apresenta 55, quase muckou as cartas, o tunr 7, o river 8, o cara segue runner runner.

Quando isso aconteceu tive o prazer de aplicar a minha estratégia anti tilt, simplesmente larguei as fichas la e fui embora, fui dar uma volta no casino, tomar um ar fresco la fora, e desencanei, tinha ficado tão puto com aquela mão que era capaz de eu entregar mais fichas antes do break, faltavam ainda uns 15 minutos. Voltei depois de cabeça fria e deu tudo certo.

Os blinds já estavam 200/400 quando tive outras duas mãos grandes, a primeira no big de 33, o cut off na caruda para atacar os blinds faz 1500, o mesmo sueco dos outros parágrafos, vendo que o cut off queria os blinds, fez 1500 + 1800, chegou em mim eu pensei, pensei, e decidi jogar a situação que eu estava vendo, eu tinha certeza absoluta que o sueco estava roubando o roubo do cara, e que ambos iriam me dar um monstro se eu voltasse todo mundo, e fiz, 1800 mais 3000. O primeiro cara deu fold e o sueco com uma cara de assustado pensou 3 minutos, e deu call, o flop veio KJ2, ele deu check rapidamente e eu fiz 5500 rápido, ele me joga aberto AJ. Vocês não tem noção o que aquilo me fez bem, fiquei tão confiante de saber que estava lendo a mesa perfeitamente, onde só tinham caras profissionais fortes eu estava me destacando a ponto de vários caras da imprensa virem perguntar que eu era, de onde eu era, e coisa e tal. Acabei o dia 1 depois desta mão e mais uma ou duas boas mãos com 56.600 fichas, na décima quarta posição do torneio entre 180 jogadores. Tudo o que eu havia previsto para o dia 1 tinha acontecido melhor ainda, fiquei muito feliz. Só poderia ser melhor se o João Marcelo tivesse tido o mesmo trabalho, ele chegou a dobrar logo no inicio, mas acabou não se dando bem em algumas mãos e terminou o dia com 8.300 na media 24.000, blinds de 400/800 para o dia seguinte.

Fomos para o quarto, li os posts do Orkut, que por sinal dão uma grande forca para quando estamos sozinhos nestas viagens, e fui dormir, pensando em como seria o dia 2. Mal sabia eu o que estava reservado para mim!

Chegamos no Casino as 4:30, o torneio começava as 17:00, e logo veio um representante do Poker Stars, quando eu falei que meu nome era André Akkari, para saber qual mesa eu deveria ir, tive o presente de Barcelona, até o cara do Stars fez uma cara esquisita, meio que dando os meus pêsames para mim e dizendo, “Hi Andrew, good luck man, you are on the Tv table, with Phill Ivey” na hora dei uma gelada violenta, aquela vontade ir no banheiro, sendo que eu tinha acabo de ir no holte. Não tenho vergonha de dizer isso não, estava me sentindo feliz demais de poder jogar com o cara que realmente eu acho o melhor do mundo, a poucas semanas atrás estava eu e Paula, minha esposa, vendo ele na Espn, e ela me perguntou, “André, ele é bom mesmo? Toda hora ele esta ai na TV” eu respondi, “Paula ele não é bom, ele só é o melhor para mim” e de repente como se fosse um presente divino eu estava na mesa da TV junto com o cara. Juro para vocês, nesta hora senti que eu realmente nasci para jogar poker, Deus tinha me dado tanta coisa em apenas 1 ano e pouco de carreira que eu não estava acreditando naquilo, era muito. Bom, fui lá para o meu do circo que eles haviam montado, uma mega estrutura, com um monte de câmera, coloquei microfone, assinei um monte de papel, e sentei.

Por vários motivos, eu ter ido para a mesa da TV prejudicou o meu torneio. Primeiro, o torneio começou e a nossa mesa só começou quinze minutos depois, nos blinds 400/800 ante de 100, quinze minutos é muita coisa para esperar, e sabe pq não havia começado? Ivey não tinha chegado, tínhamos que esperar a fera, sem ele não tem mesa da TV. Eis que o camarada chega, tranqüilo e feliz falando no telefone e a mesa teve inicio, Segunda coisa que a mesa da TV prejudicou o meu torneio, cada mão demorava uma eternidade, o dealer demorava pq não podia errar, um jogador olhava as cartas fora da câmera então tinham que ser vistas novamente, tocava o telefone do Ivey sendo que a diretora havia pedido mil vezes para desligarem o telefone e o torneio tinha que parar. Para o André Akkari pessoa era um sonho, jogar ali eu estava nas nuvens e de frente com o Phill Ivey mas para o Aakkari que queria mais do que ninguém ir bem no torneio aquilo estava fazendo um mal desgraçado.

Bom vamos ao poker, comecei esta mesa como líder, com 56.600, o segundo por volta de 42.000, Ivey com 24.000. Comecei acelerando 4 blinds seguidos, e roubei todos, sem action, os primeiros quatro potes da mesa foram meus, subi o primeiro com A4 espada, o segundo nos blinds do Ivey com AQ, o terceiro com KK e o quarto não lembro, mas algum jogo bom, então comecei a chamar atenção da mesa, ainda mais que eu estava com um agasalho do BRASIL, que já chamava atenção por si só.

O Ivey não jogou nenhuma mão, foi o cara mais tight da mesa, roubou um blind ou outro na primeira meia hora de jogo, não vi nada demais, eis que vem a primeira mão grande.

Eu subo 3 blinds no blind da fera com KJ, roda em fold e ele da call imediato, foi a primeira vez que ele tinha defendido os blinds, já comecei a fiquei preocupado, o flop vem AJ2, me dando middle pair, ele deu check rápido, eu tive uma sensação que ele queria o check and raise, não sei pq, eu não teria habilidade para ler o Phill Ivey mas minha intuição era que ele queria aplicar o primeiro show da noite, eu pensei e dei check também, o tunr um K, e ele sai apostano 5.000, praticamente o pote, eu juro para vocês, eu vi, desenhei na mão dele o TQ, mas ai pensei vou dar call com dois pares para ver o que ele faz no river, se ele apostar forte eu posso ate correr, e se ele der check talvez eu solte alguma coisa, e dei Call, já comecei a rezar para dobrar um dos pares, no river vem um 5, ele dispara 12.000. Neste momento a mesa da TV me fez mal pra caramba, eu fiquei pensando, pensando, eu tinha quase certeza que era TQ, era uma mão completamente defensável para ele dar call pré flop, quando ele apostou no turn, imaginei que ele tivesse pensado, este idiota se tiver o A vai me voltar e eu to Nuts aqui, vou arrancar as fichas dele, mas ai veio um fantasma na minha cabeça e pensei, e SE por acaso este desgraçado esta me dando um outplay nervoso, de 66, 77, todo mundo na Europa vendo meus dois pares na TV, e eu vou largar esta parada, vai ser duro, eu precisava ver o TQ dele, depois de pensar e pensar e pensar de novo, falei I Call e ele me apresentou o autentico nutz, TQ! Eu estava com 56.600 antes desta mão e fui para 36.000 depois dela.

Bom, nem fiquei muito tiltado com mão, encarei numa boa, ainda mais que a mesa inteira falou para ele sobre a sorte dele, dois caras me falaram “boa mão, tem gente que voltaria ele no river” eu acabei ficando bem, pronto para continuar jogando. Aí já começou a me faltar um pouco de sorte, vim duas vezes seguidas nos blinds da fera com KK, nas duas subi bastante para tentar simular um roubo de blind e nas duas ele largou rapidamente, depois encontrei um JJ no dealer, subi pesado o blind de um cara que estava gigante na mesa, ele depois de pensar um pouco também passou, ai fiquei nessa, roubei, roubei, roubei, com carta, sem carta, e sem action. Uma mão antes do dinner break, perdi um pote que tentei roubar de big e small, que o cara so completou, tomei uma volta tentando roubar depois do flop, perdendo umas 4.500 fichas, e fui para o break com 33.000, sendo que a media já estava em 50.000.

Depois do break, vim decidido a tentar dobrar minhas fichas, não havia tido NENHUM all in pré flop ate aquele mometo, isso me deixava feliz, é o modo como acho perfeito de um jogador de torneio andar, sem riscos, sem showdown, mas havia chegado o momento de eu procurar uma situação de coin flip.

Em uma das primeiras mãos após o break vejo no UTG + 1 um 66, blind 1000/2000, mesa short handed já que era a da TV, sai apostando 6.500, mesa roda em fold e um cara rapidamente pega todas as fichas e empurra anunciando All in, mesa roda em fold de novo, e vem para mim. Pela maneira que ele fez a aposta dele, me dava a certeza que era AK ou Aq, ele tambem precisava dobrar, tinha o mesmo stack que eu, se fosse Aa ou KK ele teria pensado e feito um teatrinho maior, bom, depois de pensar mais de 4 minutos, resolvi tentar achar o coin flip, e dei call, ele realmente abriu Ak, o flop veio j33, o turn j e o river a, acabando com as minhas esperancas no torneio. Levantei da mesa muito aplaudido ela arquibancada, ninguem havia sido aplaudido o que me deixou ainda mais feliz, sabia que tinha feito um bom trabalho, fiquei muito triste por não andar mas e cair faltando 25 pessoas para a grana, uma bela grana, mas tinha realizado varios sonhos naquelas 3 horas que fiquei foi demais!Para finalizar, gostaria de dividir o último parágrafo dizendo as coisas positivas e negativas que me aconteceram neste main event;

Coisas positivas: Foi incrível o modo como eu me senti bem, como eu senti que meu jogo havia crescido, algo que só quando vc joga contra estes caras grandes vc sente. Fiz um torneio quase perfeito, sem showdown, sem all in pré flop, sem risco, algo que eu anda não havia conseguido nos torneios grandes que já joguei, e acabei caindo no primeiro coin flip que encarei.
Joguei na mesa da TV com o cara que ate então era o meu maior ídolo no poker, tenho humildade para falar isso, sempre admirei o jogo dele, sempre li tudo o que saia nas revistas, dvd’s e coisa e tal. Nas 3 horas que joguei com ele pude melhorar ainda mais meu poker, não vi no jogo dele de fato algo surreal, mas o que aprendi muito é a forma com ele lida com as pessoas no jogo, ele parece um cão de caça, quando não esta jogando, olha todo mundo, olha os pés embaixo da mesa, olha o olho, olha a mão, chega a ser irritante, parece que ele quer brigar com você, mas na verdade ele está fazendo uma biblioteca completa dos seus movimentos, se você treme o pé e solta mão depois de tentar um blefe é mais uma informação que ele tem, se você dá risada, se você pisca, se você fingi que esta nervoso, ele pega tudo, é impressionante, e o principal, ele é tight, não se arrisca, tem um jogo de torneio sólido, não fica bailando na mesa, não quer dar show para a platéia, faz o Básico bem feito!
Isso foi um aprendizado, uma experiência sem preço!

Coisa negativas: A primeira coisa negativa é que fiquei triste de não ter entrado na grana, cheguei tão perto jogando tão bem mas não deu, sei que estou melhorando a cada dia, mas ainda não foi desta vez.
A segunda coisa é que infelizmente caiu um ídolo para mim, na minha opinião um ídolo não é só um cara que faz muito bem feito o que ele faz, é um cara que sabe que é ídolo, e por isso é um grande ser humano, o Phill Ivey não é este cara, é um cara antipático, mal educado, prepotente, um cara que deu vários exemplos de não ser um grande ser humano preparado para o sucesso que ele tem. É obvio que dinheiro ele tem muito e fama ele tem muito, mas nunca vai ser um Tiger Wood, um Michael Jorda, um Pelé, pessoas que sabem que tem seguidores e nem por isso precisam humilhar ninguém. Tiveram duas ocasiões que justificam o que eu estou falando, na primeira um cara sai de all in short stack de 4800, chega nele faz 4800 + 4800 para isolar, um menino simpático, gente boa, enfia um all in over the top de 30 nele, ele pensa, pensa, e dá call. O primeiro tinha q9, Ivey com 88 e o over the top com AQs, o menino faz um flush runner runner e ganha a mão, eu vejo ele pedindo desculpas ao Ivey, na maior humildade do mundo, o Ivey ignorou ele, e ainda disse, Sorry man, sorry why, because you are fish? Cara, isso não é coisa que se faça, um cara como ele não precisa disso.
Na segunda um cara é eliminado na mesa, um cara que a mesa inteira estava tratando bem, já que entrou pequeno e deu umas dobradas engraçadas, quando ele caiu, todo mundo deu a mão para o cara, Phill Ivey não, se recusou, nem levantou da cadeira, em uma atitude nojenta não deu a mão para o cara, totalmente sem sentido, o cara não tinha jogado nenhum pote contra ele, coisa estranha para caramba!Bom, mas no geral, estou feliz demais, ontem estava triste pela eliminação mas hoje já me sinto bem de novo para o torneio de 1k que vamos enfrentar agora. Ahh só um detalhe, depois desta mão Phill Ivey ficou com 13 mil de fichas, nos blinds 1000/2000, dobrou de novo com K6 off, all in UTG, que encontrou um AQ, por incrível que pareça, ele esta na mesa final agora, neste exato momento com 900 mil fichas, o negão é iluminado mesmo!

Um grande abraço a todos em especial para o João Marcelo, Vitao e o pessoal de Portugal que foram muito gente fina com os brasileiros aqui, e vamos continuar a maratona e depois rumo a Londres!!!

AAKKARI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s